Protestos em São Paulo por impeachment de Bolsonaro neste domingo 12/9

0
136
Visualizados
Foto: Estadão

Os protestos deste 12 de setembro foram organizados ainda em julho por grupos conservadores e liberais descontentes com as políticas bolsonaristas, entre eles o Movimento Brasil Livre (MBL) e o Vem para a Rua, organizadores também dos atos que pediram o impeachment de Rousseff, ao lado do Livres e de partidos de direita como o Novo e o PSL.

Tinham como slogan inicial, além da saída do presidente, o “nem Lula nem Bolsonaro”, em referência aos dois nomes que devem entrar em embate direto nas eleições do ano que vem. Os grupos de centro e de direita tentam fazer decolar uma via alternativa a eles, mas ainda não conseguiram emplacar alguém. E os atos pelo impeachment do atual presidente, se bem sucedidos, podem servir de palco para ajudar a fortalecer um potencial candidato. Mas, de última hora, o lema acabou excluído em uma tentativa de atrair também a oposição de esquerda.

Não foi suficiente, entretanto, para partidos como o PT e PSOL, que decidiram não enviar representantes para as manifestações. Mas algumas figuras públicas progressistas prometeram estar presentes no ato na avenida Paulista, como os deputados federais Orlando Silva (PCdoB-SP) e Alessandro Molon (PSB-RJ), a deputada estadual Isa Penna (PSOL-SP), além do pré-candidato a presidente Ciro Gomes (PDT).

Deixe seu comentário

Por favor, digite seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui