Médico de Bolsonaro descarta cirurgia

0
218
visualizações
Foto: Fábio Vieira / Metropoles

O médico Antônio Luiz de Vasconcellos Macedo e sua equipe afirmaram na manhã desta terça-feira (04/01), que o quadro de obstrução intestinal do presidente Jair Bolsonaro foi resolvido e que, por enquanto, uma nova cirurgia foi descartada.

“O quadro de suboclusão intestinal do Presidente da República, Jair Bolsonaro, se desfez, não havendo indicação cirúrgica. A evolução do paciente clínica e laboratorialmente segue satisfatória e será iniciada hoje uma dieta líquida”, diz um novo boletim médico divulgado pelo hospital Vila Nova Star, em São Paulo, onde o presidente está internado desde a madrugada de segunda.

No boletim anterior, da noite de terça, o hospital havia informado que Bolsonaro apresentou melhora clínica, após a passagem de uma sonda nasogástrica e não teve febre ou dor abdominal. “O paciente fez uma curta caminhada pelo corredor do hospital e permanece em tratamento clínico”, disse a nota, também assinada pela equipe médica liderada por Macedo.

Macedo foi quem operou Bolsonaro após a facada que o presidente levou no abdome em setembro de 2018, durante um ato de campanha em Juiz de Fora, Minas Gerais, e acompanha o presidente desde então.

No primeiro boletim médico divulgado, o hospital Vila Nova Star havia comunicado que o quadro de Bolsonaro era estável e confirmado que o presidente fora internado por “suboclusão intestinal”, termo técnico para obstrução parcial do intestino.

A Secom afirmou que o presidente deu entrada no hospital para a realização de exames após sentir um desconforto abdominal.

No Twitter, o próprio Bolsonaro declarou que começou a passar mal após o almoço de domingo, durante suas férias em São Francisco do Sul, no litoral de Santa Catarina. 
*Com informações da DW

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui