Blog do Murilo: A educação nunca foi prioridade no Brasil, é apenas uma fábrica de mão de obra barata

    0
    90
    Visualizados
    Escolas públicas em péssima condições existem em todas as regiões do pais.

    Quem nunca se perguntou por que a educação no Brasil é da forma que todos sabemos, deixa muito a desejar, em alguns lugares extremamente péssima? A resposta já foi dada ao longo do tempo da existência do país, um planejamento cruel que visa escravizar a maior parte possível de brasileiros nas questões econômicas, uma fábrica de mão de obra barata.

    A cada 100 alunos que ingressam na primeira série apenas 11 chegam a universidade, então fica pergunta, onde foi parar os 89? nós vemos eles por aí todos os dias mas não enxergamos, porque isso se naturalizou com tempo, esse é o projeto, naturalizar, as pessoas não conseguem estudar e pronto. Seus pais não conseguem sustentar a família pois são afetados por políticas públicas que não os ajudam em nada, então as crianças e adolescentes ingressam no “mercado de trabalho” fazendo bicos, trabalhando em regime de quase escravidão apenas para ter o básico garantido na constituição que é o direito de se alimentar.

    Existe uma pequena parcela da sociedade que se intitulam dominantes que fazem de tudo para isso acontecer através da política, utilizando os deputados que fazem as Leis, que deveriam ser os representantes dessas pessoas mais vulneráveis e não são, e sim os filhos dos fazendeiros, filhos de industriais e filhos de especuladores rentistas em bancos que visam apenas proteger seus patrimônios utilizando da política, e o setor que eles mais preservam é esse, a manutenção de mão de obra barata, já imaginou o filho do peão de fazenda que ganha salário mínimo fosse para a faculdade? ele não seria mais o substituto natural da escravidão de seu pai na fazenda, não é isso? então é isso que aqueles que estão no poder brigam, manter esse pessoal sempre nessa condição e seus filhos tomando o mesmo caminho.

    O ódio do bolsa família

    Alguns poucos deputados querem que o bolsa família seja de 600 reais por família, com isso ajudaria nessa questão das crianças permanecer na escola, pois é a condição para ingressar no programa, mas o restante dos deputados que são dessa classe que coloquei acima não vão aprovar, pois foge de seus objetivos que é a escravização eterna dessas pessoas, a desculpa é a mesma de sempre, não tem dinheiro, mas pra aprovar fundo eleitoral de 7 bilhões o dinheiro aparece.

    O que a sociedade tem que entender que aquele aluno que conseguir superar essa barreira e chegar ao ensino superior ou perto disso já e uma grande vitória de toda a sociedade, pois essa pessoa não vai se enquadrar no programa para seus filhos no futuro, os dados do governo mostram isso claramente depois de 10 anos as pessoas beneficiadas diminuiu ao invés de crescer como muitos linguarudos diziam que iria acontecer, o ciclo de pessoas vai diminuindo com o tempo.

    Em outros países como EUA, Inglaterra, Suécia, França, Alemanha, etc. a ajuda assistencial é coisa muito natural para desenvolvimento do país mas aqui no Brasil é motivo de discussão, por isso que estou escrevendo, para mostrar onde está a discussão, a discussão é não deixar as pessoas mais inteligentes, sempre com conhecimento abaixo da média para poder ter o controle delas através da economia. Sem assistência social a sociedade cria bandidos, simples assim, quem não tem como comer vai roubar, é simples a equação.

    O bolsa família já provou em números que mantém as crianças participantes do programa na escola por um tempo maior que normalmente elas ficariam, hoje temos 3% que correspondem aproximadamente 1,5 milhão de pessoas com idade escolar que estão fora da sala de aula.

    A qualidade da escola pública é algo que nem tem como falar se existe, professores desmotivados pelo salário baixo, prédios caindo aos pedaços, falta do básico para o prédio funcionar, como medir qualidade de algo assim que é natural no Brasil? 61% dos alunos do 5º ano não conseguem interpretar textos simples. 60% dos alunos do 9º ano não interpretam textos dissertativos.

    65% dos alunos do 5º ano não dominam o cálculo, 60% dos alunos do 9º ano não sabem realizar cálculos de porcentagem.

    A solução do problema

    Ficar aqui escrevendo, falando o que muita gente já sabe é tranquilo, mas ninguém chega com soluções práticas para isso, e o que vemos é todo mundo dizendo o mesmo bordão “o caminho é a educação, temos que dar educação para nossas crianças”, artistas aparecem na TV e são aplaudidos dizendo que o governo tem que dar educação de qualidade, isso dá ibope para ele, passa impressão que é uma boa pessoa, enfim, tá ajudando apenas ele.

    A Deputada Federal Tabata Amaral disse uma frase no Jornal a Folha de S.Paulo que eu já venho dizendo faz tempo “não é descaso pela educação é um projeto”, pela primeira vez ouvi de um parlamentar dizer o que realmente é, um projeto de “emburrecimento” de pessoas.

    Eu não vejo outra solução que não seja Federalizar a escola pública, pois através da federalização da escola pública o controle das escolas ganhariam superintendências regionais de fiscalização e apoio, o professor efetivado nas escolas se tornariam funcionários públicos federais no comando direto do ministério da educação. Os estados e municípios não teriam mais os repasses para educação como ocorre hoje e isso evitaria os roubos sistêmicos de dinheiro da educação que já é corriqueiro no Brasil, o roubo de merenda já foi escândalo por muitas vezes.

    E o melhor disso tudo nessa ideia seria o fim do forte Lobby político que existem nas escolas municipais e estaduais, os diretores pertencem a partidos e tem que seguir a cartilha do prefeito e governador, estão percebendo o tamanho que o problema ficou. Diretor de escola tem que ser diretor de escola e não diretor do prefeito ou do governador como ocorre hoje.

    Os prédios das escolas já existem, apenas tem que passar por melhorias, os professores já existem apenas serão mais valorizados em salário e teriam mais aperfeiçoamento de sua função, o dinheiro que seriam destinados aos municípios e governos através de repasses que já ocorrem hoje, seriam concentrados no próprio ministério da educação ou em órgãos regionais para gerenciar toda despesa das escolas, até a segurança das escolas teria uma melhoria pois já seria de competência de segurança da Polícia Federal e não mais da PM estaduais e guardas municipais.

    Para isso ocorrer dependemos dos excelentíssimos deputados e senadores e sanção do presidente, que só de falar de tirar o Lobby político das escolas dá um frio na espinha dessa gente, só de falar que seus aliados nas prefeituras e governos estaduais não vão mais conseguir desviar o dinheiro da educação, eles piram. Nesse modelo também tem a grande vantagem de diminuir os responsáveis diretos pelo sistema de educação no Brasil, hoje os responsável direto pela educação no Brasil são 5.570 prefeitos e 27 governadores.

    Ainda há mais de 20 mil escolas públicas sem banheiros e sem eletricidade. Foto: Agência Senado

    É apenas minha ideia de como pensei como fazer algo para realmente solucionar o problema da educação pública no Brasil, pois do jeito que está vai entrar governo e sair governo e tudo vai ficar até pior do que já está, é preciso tomar uma medida radical e não ficar enxugando gelo e colocando remendo usando cuspe como cola.
    Por Marco Murilo

    Deixe seu comentário

    Por favor, digite seu comentário!
    Por favor insira seu nome aqui